buscar

Notícias de Tecnologia
Nosso presente é a melhor garantia do futuro

“2016 é um ano chave para a EDICOM Brasil”

17/02/2016



O Brasil é um dos países mais avançados do mundo no setor de tecnologia da informação e comunicação (TIC). Embora 2015 tenha sido um ano de recessão econômica e crise política, as empresas do setor continuaram demandando soluções digitais para se comunicarem com seus partners. A diferença é que agora essas demandas não estão muito orientadas à expansão, senão à otimização dos cenários atuais de comunicações.

“Neste nebuloso panorama macroeconômico, as soluções tecnológicas capazes de melhorar os processos e reduzir os custos fixos e variáveis possuem ainda mais valor agregado para as empresas”, nos explica William Pascheti. Esta tendência orientada à eficiência dos processos de Supply Chain motivou um notável crescimento da EDICOM em 2015, tanto no número de clientes, como no posicionamento da marca no país.

A previsão é que neste ano as oportunidades continuem aumentando. Prevê-se uma alta demanda de soluções de comunicação B2B/B2G/B2C. “Podemos dizer que 2016 é um ano chave para a EDICOM Brasil. Nosso objetivo é assentar a representatividade da marca em âmbito nacional, ao mesmo tempo que contribuiremos para fortalecer a liderança mundial. Atualmente fazemos possível o intercâmbio de dados entre mais de 15.000 empresas de 60 países diferentes e queremos seguir crescendo”, afirma Pascheti.

Um ano de avanços paperless

Com a adesão 100% da fatura eletrônica (NF-e) no país, o Brasil virou um dos principais benchmarkings de sucesso. Desta forma seu modelo está se expandindo em outras regiões da Europa, Ásia e América. Contudo, o projeto ainda tem muito caminho a percorrer.

“Ao longo deste ano, o Brasil experimentará inúmeras mudanças em relação ao faturamento eletrônico e as iniciativas paperless. A ideia do governo é que no futuro a longo prazo, todas as obligações fiscais possam ser resolvidas através das informações contidas na NF-e”, explica o diretor comercial da EDICOM Brasil.

Outra das previsões é que o uso do EDI, ainda em fase embrionária no país, cresça entre as empresas. Precisamos ter em conta que esta tecnologia surge, segundo o especialista Pascheti, como “o melhor meio de aperfeiçoar os processos de comunicação entre os elos de Supply Chain, em um mercado cada vez mais globalizado e interconectado”.

Gostaria de mais informações?


Solicite-as