buscar

Notícias de Tecnologia
Nosso presente é a melhor garantia do futuro

O projeto MMOG/LE estende o uso do EDI no setor automobilístico

05/04/2016



As iniciativas paperless crescem no Brasil a passos estrondosos, sendo o intercâmbio eletrônico de dados, uma das tecnologias com maior potencial, no setor automobilístico. Neste âmbito, as dificuldades da cadeia de suprimentos e o projeto MMOG/LE (Materials Management Operations Guideline/Logistics Evaluation) estão impulsionando a expansão do EDI, inclusive entre as empresas de pequeno porte.

O MMOG/LE é um padrão impulsionado pelos organismos ODETTE e AIAG que determina o nível de rendimento na cadeia de suprimentos das empresas do setor automobilístico. “Esta norma conta com mais de 200 critérios de auto avaliação, que permitem identificar possíveis lacunas nos processos logísticos, com o objetivo de incrementar a eficiência e redução de custos atrelados à operação”, explica William Pascheti, diretor comercial da operação da EDICOM no Brasil.

O projeto MMOG está alinhado com a norma ISO / TS 16949: 2002. Além disso, em maio de 2014 foi lançada uma nova versão do padrão, conhecida como MMOG Global/Lev4, que pretende expandir o EDI a todos os fornecedores do setor automobilístico e inclusive a outros setores. Neste sentido, os gigantes da indústria automobilística, como: Renault, Ford ou Chrysler, já exigem a seus TIER que se adaptem.

As comunicações entre as grandes corporações e seus TIER I já são 100% eletrônicas, porém, agora o EDI deve ser generalizado entre fornecedores de menor nível. Como afirma William Pascheti, “o propósito é permitir que a cadeia de suprimentos em si, seja paperless, algo que otimizaria ao máximo a metodologia ‘Just in time’.

Um desafio para as empresas de pequeno porte

O projeto MMOG não somente demanda a implementação do EDI para obter una boa qualificação nessas auto avaliações, mas que também detalha as especificações que têm que cumprir o intercâmbio. Um requerimento que as grandes companhias podem resolver de forma simples, porém que acarreta alguma dificuldade para os pequenos fornecedores sem capacidades tecnológicas.

“Conhecemos pela proximidade, os problemas dos TIER II, III e sucessivos na hora de implementar uma solução eletrônica. Por essa razão, na EDICOM desenvolvemos diferentes plataformas, adequadas para cada perfil de empresa e adaptadas as exigências do MMOG”, explica o diretor comercial da EDICOM no Brasil. Estas soluções vão desde o EDI integrado com o ERP ou sistema de gestão interno, concebido para grandes corporações, até o EDI web, de baixo custo e rápida implementação, sendo o acesso à internet o único requisito para sua operação.

Gostaria de mais informações?


Solicite-as